ESCENG        UFRGS
Narrow screen resolution Wide screen resolution Auto adjust screen size Increase font size Decrease font size Default font size

        LABS - Infraestrutura do DEQUI/PPGEQ

LACOURO - Processamento do Couro

 

Etapas de Fabricação do Couro

         O processamento completo do couro, realizado em curtume, consiste em transformar a pele verde ou salgada em couro acabado. O processamento do couro é dividido em três fases de operações de trabalho: ribeira, curtimento e acabamento molhado, como seguem:
- Fase de ribeira: operações de limpeza e preparação da pele para o curtimento;
- Fase de curtimento: etapas de difusão e fixação de substâncias curtentes;
- Fase de acabamento: operações de acabamento molhado, secagem, pré-acabamento e acabamento final.
          Na fase de ribeira, é feita a preparação da pele para o curtimento através das operações de ribeira: remolho, depilação, caleiro, descarne, divisão, desencalagem, purga e píquel.
          O curtimento baseia-se na reação de substâncias químicas curtentes com o colágeno da pele. Uma vez curtida, a pele passa a ser denominada de couro. Quando o curtimento é feito com cromo, o couro é chamado de couro wet-blue devido à sua umidade e coloração.
          Após descanso e classificação, o couro wet-blue é enxugado e rebaixado, para ajuste e uniformização da espessura. O acabamento molhado compreende os tratamentos de desacidulação, recurtimento, tingimento e engraxe do couro. Na sequência, são realizadas as operações de secagem e pré-acabamento. E, finalmente, o couro é acabado com aplicações de camadas de produtos pigmentados e poliméricos formadores de filmes sobre sua superfície, com prensagens intermediárias e tratamentos finais.
          Os processos químicos são realizados principalmente em fulões (reatores cilíndricos com movimento de rotação), em meio aquoso com várias trocas de banhos de processos, que podem ser realizados a temperatura ambiente ou aquecidos, nos quais as peles sofrem ação mecânica de fulonagem. Em caso de banhos aquecidos, em geral entre 30 e 60ºC, o controle da temperatura regula a difusão e a fixação das substâncias na estrutura dérmica e, em alguns casos, mantém a estabilidade dos produtos em emulsão.
          A maioria das operações mecânicas é realizada em máquinas com sistemas de rolos de transporte e cilindros que fazem o trabalho desejado com navalhas e dispositivos desenhados de acordo com as suas funções. A construção das máquinas é especial para cada processo. O cilindro em contato com o lado da flor ou do carnal da pele/couro pode ser de aço, de borracha, de feltro, de pedra, etc., são próprios para cortes, ajustes de espessura, prensagens, gravações, abrilhantamento, polimento, etc. Em caso de cilindro de navalhas, existem diferentes tipos de perfis das navalhas. Os sistemas de transporte, inserção, aplicação de pressão e aquecimento são projetados para cada finalidade.
          O Quadro 1 apresenta, uma breve descrição, dos tratamentos e operações realizadas em curtume agrupados nas distintas fases do processo, sendo que nem todas as etapas são rigorosamente cumpridas em um processo em curtume, isto depende do tipo de matéria-prima e artigo final em questão. A Figura 1 apresenta a identificação das operações químicas e mecânicas de processamento do couro e a Figura 2 é um fluxograma completo de processamento do couro.

   Quadro 1: Tratamentos e operações unitárias do processo de produção de couro.

 

Figura 1: Operações de Processamento de Couro em Curtume

OQ = Operação química a úmido e/ou com aplicação de produtos químicos
OM = Operação mecânica e/ou processo sem aplicação de produtos químicos
Secagem I = secagem dos couros
Secagem II = secagem dos filmes de acabamento
 

Figura 2: Fluxograma de processamento do couro