Colação de grau

A Colação de Grau é o ato oficial da Universidade realizado, via de regra, em sessão solene e pública, por meio do qual o formando é investido na posse do grau acadêmico a que tem direito por haver integralizado o currículo do respectivo curso de graduação.

A conclusão do curso certamente é a celebração do estudante de uma grande conquista. A cerimônia de Formatura é um dos mais belos momentos da jornada. Com ela se compartilha a alegria com os entes mais queridos, assim como, expressa o reconhecimento para aqueles que, de alguma forma, contribuíram para essa vitória.

Além disso, a Solenidade de Colação de Grau é uma das mais importantes e tradicionais cerimônias acadêmicas da Universidade, quando dirigentes, professores, funcionários, pais e alunos externam seus sentimentos para provar que a missão de ensinar foi cumprida e o esforço valeu a pena.

Neste sentido, para que esse evento saia tal como a turma idealizou, é de fundamental importância que tenha um planejamento e siga as normas do cerimonial para a Solenidade de Colação de Grau de formatura desta Instituição.

Assista ao vídeo produzido pela UFRGS TV sobre as colações de grau:

Calouros

Esta página contém os principais links para os calouros do Departamento de Engenharia Química da UFRGS, tendo como objetivo fornecer as informações iniciais que eles possam necessitar.

  • Informações aos novos calouros: informações importantes para assegurar o seu ingresso nesta Universidade.
  • Guia do Estudante da UFRGS: informações sobre a Universidade, a sua estrutura, serviços oferecidos à comunidade universitária, estrutura curricular, matrícula, oportunidades na graduação, mapas e transporte coletivo para chegar até a UFRGS.
  • NAE – Núcleo de Apoio ao Estudante: serviço voltado ao atendimento do aluno de graduação e pós-graduação da UFRGS no que diz respeito ao seu desenvolvimento e planejamento de carreira e sua adaptação à Universidade.
  • PRAE – Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis: tem como objetivo de tratar dos aspectos relativos à política de atendimento à comunidade discente da Universidade em termos de acolhimento desses estudantes, moradia estudantil, alimentação, saúde, cultura e lazer.
  • PROGRAD – Pró-Reitoria de Graduação da UFRGS: responsável por planejar, coordenar e acompanhar todas as atividades de ensino nos cursos de graduação, de forma permanente e articulada com a Pró-Reitoria de Coordenação Acadêmica, com a Câmara de Graduação, Unidades Acadêmicas e Comissões dos Cursos de Graduação ofertados.
  • Portal da UFRGS: página principal da Universidade.
  • Portal do Aluno da UFRGS: informações exclusivas para os alunos.
  • Código Disciplinar Discente: especifica as infrações disciplinares discentes passíveis de sanção e os direitos e garantias quanto ao processo disciplinar discente e à aplicação das respectivas sanções.

Transferência

Como posso me transferir para o curso de graduação em Engenharia Química da UFRGS?

Na Universidade Federal do Rio Grande do Sul existem quatro modalidades de transferência:

Modalidade de forma de ingresso, mediante processo seletivo, de discentes regularmente matriculados em outras IES – Instituições de Ensino Superior que já tenham integralizado os dois primeiros semestres completos no curso de origem.

Forma de mobilidade acadêmica para discentes da UFRGS que queiram mudar de curso através de recálculo da média do SiSU ou do CV (Concurso Vestibular). A troca de curso por essa modalidade não está disponível para estudantes de transferência voluntária ou ingresso de diplomado.

Modalidade de forma de ingresso concedida a servidor público federal civil ou militar ou seu dependente discente, em razão de comprovada remoção ou transferência de ofício que acarrete mudança de domicílio para Porto Alegre ou município próximo, na forma da lei.

Modalidade de forma de ingresso, mediante processo seletivo, para portadores de diploma de curso superior.

As transferências voluntárias e internas e o ingresso de diplomados ocorrem via concurso extravestibular de acordo com a abertura de vagas e com os critérios estabelecidos pelas Comissões de Graduação.

Estágios


Atividade de Estágio Supervisionado

A Atividade de Estágio Supervisionado é um componente obrigatório dos cursos de Engenharia e tem por objetivo proporcionar ao estudante a complementação do ensino ministrado na Universidade, servindo de aperfeiçoamento técnico-científico, de treinamento prático, de relacionamento humano e de integração.

Para a Inscrição na Atividade de Estágio Supervisionado, o aluno precisa ter 162 créditos obrigatórios integralizados e aprovação nas disciplinas ENG07010 – Mecânica dos Fluidos Aplicada e ENG07754 – Operações Unitárias da Engenharia Química I.

A inscrição na Atividade de Estágio Supervisionado pode ser feita a qualquer momento, através de abertura de processo no Protocolo Geral da UFRGS, anexando os seguintes documentos:

  • formulário de inscrição;
  • cópia do Termo de Compromisso de Estágio (TCE), contendo o plano de trabalho elaborado pela empresa e assinado pelo supervisor;
  • histórico escolar e comprovante de matrícula (obtidos no portal do aluno, com chave digital).

A carga horária mínima do estágio a ser aproveitado na Atividade é de 200 h, assim, o prazo para o aluno encerrar a Atividade é a de 200 h + 4 semanas para a elaboração (pelo aluno) e aprovação do relatório de estágio (pelo orientador). Em um estágio de 30h semanais, portanto, o prazo será de 11 semanas.

O estágio OBRIGATÓRIO necessita estar vinculado à Atividade de Estágio Supervisionado. O estágio NÃO OBRIGATÓRIO pode, ou não, ser aproveitado na Atividade e Estágio Supervisionado: somente serão aceitos estágios cuja data de início do último período, constante no TCE, seja até um ano antes da data de inscrição na Atividade de ensino.

O aluno deverá encaminhar, por e-mail, o relatório do estágio para seu professor orientador (designado pela COMGRAD). O mesmo avaliará o relatório e deverá informar à COMGRAD (também por e-mail) o conceito do aluno, DENTRO DO PRAZO DA ATIVIDADE.

O relatório deverá ter em torno de 10 a 15 páginas e ser composto de:

1. Introdução;
2. Apresentação da Empresa;
3. Descrição do processo;
4. Descrição das atividades realizadas;
5. Detalhamento da principal atividade desenvolvida;
6. Conclusões;
7. Bibliografia.

Além disso, o aluno deverá entregar na COMGRAD ou na secretaria do DEQUI uma declaração de carga horária (modelo da Empresa) e a avaliação do supervisor (modelo DEQUI).

Os estágios são regulamentados pela Lei Nº 11.788/08, pela Resolução Nº 40/2016 do CEPE e pela Resolução Nº 05/2009 da COMGRAD.

Os pré-requisitos para a aprovação de qualquer solicitação de estágio são os seguintes: 

  • ter um índice de ordenamento I1 >= 4 OU ter, pelo menos, 50% dos créditos obrigatórios do curso;
  • estar matriculado em, pelo menos, 18 créditos (exceto quando a possibilidade de matrícula seja inferior a este número);
  • ter um aproveitamento mínimo no semestre imediatamente anterior ao do estágio (ter sido aprovado em, pelo menos, 13 créditos, OU em 60% dos créditos cursados no semestre anterior).

Estágio Obrigatório versus Não Obrigatório

Em termos de documentos, existem dois tipos de estágio: o obrigatório e o não obrigatório. A diferença entre eles está relacionada ao seguro que cobrirá o estagiário: se a empresa concedente do estágio tem convênio com a UFRGS e providencia este seguro, o estágio será NÃO OBRIGATÓRIO; se a empresa concedente não tem convênio com a UFRGS, ou, não possui um seguro para fornecer ao estagiário, o estágio será OBRIGATÓRIO (pois, neste caso, a UFRGS fornecerá o seguro).

Ambos os tipos de estágio (obrigatório e não obrigatório) poderão ter duração de 6 (seis) meses, não ultrapassando 6 (seis) horas diárias e 30 (trinta) horas semanais.

O estágio OBRIGATÓRIO necessita estar vinculado à Atividade de Estágio Supervisionado; o NÃO OBRIGATÓRIO, não.

O estágio NÃO OBRIGATÓRIO poderá ser renovado semestralmente, não podendo exceder 2 (dois) anos.

Renovação do Estágio Não Obrigatório

O aluno deverá solicitar ao seu professor orientador (designado pela COMGRAD) o envio de um e-mail à COMGRAD (comgrad@enq.ufrgs.br) com o seguinte formulário preenchido:

O aluno se reportou/manteve contato durante o estágio?……………………..
As atividades realizadas neste período estão de acordo com o curso?……………………..
Você será novamente o orientador deste aluno nos próximos 6 meses. O aluno lhe informou sobre as atividades a serem desenvolvidas neste período?……………………..

PARECER DO ORIENTADOR
(  ) Recomendo a renovação do estágio.
(  ) Não recomendo a renovação.

TCC – Trabalho de Conclusão de Curso

Conceito, escolha do tema e forma de avaliação

O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é uma atividade de ensino obrigatória e, como tal, também tem pré-requisitos. A avaliação é individual e visa a produção de uma monografia como pré-requisito à conclusão de curso. O tema é de livre escolha do alunos dentro do ramo da Engenharia Química. O aluno desenvolverá um trabalho para o tema escolhido sob a orientação de um professor. O trabalho final será avaliado por uma banca de professores e/ou profissionais da Engenharia Química.

Objetivos

O Trabalho de Conclusão de Curso em Engenharia Química tem como objetivos:

  1. possibilitar ao aluno a aplicação dos conhecimentos, habilidades e competências adquiridas ao longo do curso;
  2. estimular para que o aluno possa integrar os conhecimentos adquiridos nas diferentes etapas do curso em um trabalho consistente relacionado à Engenharia Química;  
  3. capacitar o aluno na elaboração e apresentação de um trabalho sistematizado. 

Comissão de Graduação

A Comissão de Graduação do Curso de Engenharia Química (COMGRAD-ENQ) é constituída pelos seguintes membros:

  • Coordenador: Prof. Evandro Steffani
  • Coordenador Substituto: Profª Daniele Misturini Rossi
  • Secretário: Rodrigo Cougo Camargo
  • Membros:
    Prof. Marcelo Farenzena
    Profª Marla Azário Lansarin
    Profª Michèle Oberson de Souza (Instituto de Química)
    Prof. Pedro Juarez Melo

Contato

Responsável: Rodrigo Cougo Camargo
E-mail: rodrigo@enq.ufrgs.br
Telefone: (51) 3308-2199
Sala: 309 do Anexo I do Campus Saúde

Coordenador: Prof. Evandro Steffani
E-mail: esteffan@enq.ufrgs.br
Telefone: (51) 3308-2819
Sala: 263 do Anexo I do Campus Saúde

HORÁRIO DE ATENDIMENTO (Prof. Evandro Steffani)
Segundas-feiras: das 13h30min. às 17 horas
Quartas-feiras: das 13h30min. às 17 horas
Sextas-feiras: das 9 horas ao meio-dia e das 13h30min. às 16 horas

Coordenador substituto: Profª Daniele Misturini Rossi
E-mail: drossi@enq.ufrgs.br
Telefone: (51) 3308-2196
Sala: 365 do Anexo I do Campus Saúde

Formulário de contato

E-mail: comgrad@enq.ufrgs.br

O curso

CURSO 106-00 / GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA/UFRGS

No Brasil, o curso de Engenharia Química foi criado oficialmente em 1896, obtendo reconhecimento em 08 de dezembro de 1900, através do decreto-lei nº 727. O exercício da profissão de Engenheiro Químico é regulado pela Lei Federal Nº 5194, de 24 de dezembro de 1966, a mesma que regulamenta a profissão do arquiteto e do engenheiro agrônomo. Essa lei foi regulamentada pelo decreto federal 620, de 10 de junho de 1969.

A titulação conferida é a de: BACHAREL EM ENGENHARIA QUÍMICA.

O curso de Engenharia Química da UFRGS tem por objetivo a formação de profissionais capacitados para: pesquisar, analisar, projetar, operar e otimizar processos onde a matéria sofre alterações de fase, de estado físico, de conteúdo energético ou de composição. Isto é, processos de transformação da matéria-prima em produtos. Estes processos existem, principalmente, nas indústrias de produtos químicos, de materiais, de alimentos, refinarias e pólos petroquímicos, no controle de poluição, etc.

Sobre a UFRGS

A Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com sede em Porto Alegre , capital do Estado do Rio Grande do Sul, é uma instituição centenária, reconhecida nacional e internacionalmente. Ministra cursos em todas as áreas do conhecimento e em todos os níveis, desde o Ensino Fundamental até a Pós-Graduação.

A qualificação do seu corpo docente, composto em sua maioria por mestres e doutores, a atualização permanente da infraestrutura dos laboratórios e bibliotecas, o incremento à assistência estudantil, bem como a priorização de sua inserção nacional e internacional são políticas em constante desenvolvimento.

Por seus prédios circulam, diariamente, cerca de 40 mil pessoas em busca de um dos mais qualificados ensino do país. Este, aliado à pesquisa, com reconhecidos níveis de excelência, e a extensão, a qual proporciona diversificadas atividades à comunidade, faz com que a UFRGS alcance altos níveis de avaliação.

A UFRGS, como instituição pública a serviço da sociedade e comprometida com o futuro e com a consciência crítica, respeita as diferenças, prioriza a experimentação e, principalmente, reafirma seu compromisso com a educação e a produção do conhecimento, inspirada nos ideais de liberdade e solidariedade.

Vídeos institucionais

VÍDEO 01 – Junto com uma série de atividades que deram início às comemorações dos 80 anos da UFRGS, a UFRGS TV produziu um vídeo institucional contando um pouco da história da Universidade – marcada por uma forte relação com a sociedade que a construiu e que a mantém.


VÍDEO 02
– Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 80 anos. Uma universidade de portas abertas para o conhecimento, para a formação e para a informação, que investe em pesquisa e inovação, e dialoga com a sociedade e com o mundo.


VÍDEO 03
– No dia em que celebra 83 anos de história, a UFRGS comemora também o resultado do IGC do MEC, que a considerou a melhor entre as universidades federais do país!

 

Perfil do egresso

De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Engenharia do MEC (Resolução CNE/CES n° 11, de 11 de março de 2002), “o perfil dos egressos de um curso de engenharia compreenderá uma sólida formação técnico-científica e profissional geral que o capacite a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da sociedade”. 

Para dar conta de tantas atribuições, é esperado que o profissional tenha alguma familiaridade com as disciplinas da área de Exatas, como Matemática, Física, além é claro da Química, que compõem a grade de Engenharia Química.

Rapidez de raciocínio, habilidade com cálculos e sistemas informatizados são características desejáveis, além da disciplina para se manter atualizado em meio à evolução da tecnologia.

Quanto às competências comportamentais, tendem a se destacar profissionais criativos, que possuam um olhar diferenciado sobre as situações. A capacidade de trabalhar sob pressão e controlar situações adversas rapidamente também é um diferencial competitivo.

Áreas de atuação do Engenheiro Químico

O Engenheiro Químico pode atuar nas mais diversas áreas onde processos físicos, físico-químicos ou transformações químicas estejam envolvidos, ou seja, o mercado de trabalho para o Engenheiro Químico é bastante diversificado, especialmente porque ele atua em indústrias e empresas dos mais variados segmentos:

  • indústrias químicas;
  • indústrias petroquímicas;
  • indústria alcoolquímica;
  • refinarias de petróleo e gás;
  • indústrias de celulose e papel;
  • indústrias cerâmicas e vidro;
  • indústrias de cimento;
  • indústria de plásticos;
  • indústrias de adesivos, tintas e solventes;
  • indústrias de detergentes e produtos de limpeza;
  • indústria coureiro-calçadista;
  • indústrias alimentícias;
  • indústrias farmacêuticas;
  • fertilizantes;
  • química fina;
  • biotecnologia;
  • energia, gás natural e biocombustíveis;
  • tratamento de água;
  • tratamento de efluentes;
  • meio ambiente e controle de poluição;
  • órgãos públicos (DEMAE, FEPAM, prefeituras, etc.);
  • laboratórios de pesquisa;
  • laboratórios de desenvolvimento de produto ou processo.

A profissão de Engenharia Química é regulamentada pelo CREA (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia) ou pelo CRQ (Conselho Regional de Química), dependendo da área específica de atuação do profissional.

Dentre as atividades sob responsabilidade do Engenheiro Químico pode-se citar:

  • Projetos;
  • Produção;
  • Processos químicos;
  • Pesquisa e Desenvolvimento;
  • Higiene/Segurança/Meio Ambiente;
  • Comercial;
  • Relações Humanas;
  • Treinamento e Recrutamento Política;
  • Docência – ensino, pesquisa e extensão;
  • Informática Industrial.

Currículo do curso de graduação

O currículo do curso de Engenharia Química é estruturado em 10 semestres e tem uma carga horária total de 4.025 horas. A relação de disciplinas é acompanhada de uma seriação recomendada para cada semestre.

O currículo do curso é composto por disciplinas de formação geral e disciplinas de formação profissional. As disciplinas do curso estão, ainda, divididas em obrigatórias e eletivas, sendo que nas eletivas o aluno deverá obter pelo menos 18 créditos, escolhendo disciplinas dentre as oferecidas.

Completam o currículo do curso o estágio supervisionado com uma carga horária de 200 horas, a apresentação de trabalho de conclusão de curso (TCC) e a obtenção de 6 créditos referentes à atividades complementares.

O CFE estabelece, em anos, os limites mínimos e máximos para a conclusão do curso, sendo o MÍNIMO de 4 anos e o MÁXIMO de 9 anos.

Os atuais currículograde curricular do curso de graduação em Engenharia de Química, conforme consta disponível no site da UFRGS, são os seguintes:

CURRÍCULO e GRADE CURRICULAR

Informações para ingressantes

O ingresso ao curso é feito via concurso Vestibular no mês de janeiro de cada ano, sendo admitidos 120 novos alunos por ano. Destes, 60 ingressam no primeiro semestre e 60 no segundo, sendo 30% pelo sistema de reserva de vagas.

A relação do número de candidatos por vaga é de, aproximadamente, 8 a 9.

O curso é diurno (manhã/tarde), sendo que no final do curso, algumas disciplinas são oferecidas no período noturno para possibilitar a realização de estágio.

O tempo de integralização é de 10 (dez) semestres.

As disciplinas são ministradas nos Campus Centro, Saúde e Vale da UFRGS.

Para quem tem interesse em ingressar no curso de Engenharia Química é recomendável uma sólida formação nas disciplinas de Matemática, Física e Química. Além disso, postura investigativa e disposição para aceitar desafios são importantes para seguir a carreira.

A área de atuação do Engenheiro Químico é bastante ampla sendo, portanto, um profissional extremamente versátil.

SAIBA MAIS

 

No dia 20 de setembro é comemorado em todo o país o Dia do Engenheiro Químico. A data foi instituída pelo Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (CONFEA) em 2002, atendendo a solicitação do então coordenador nacional de Câmaras Especializadas de Engenharia Química, engenheiro químico Fermin Perez Camison.

Regulamentado e legalizado no Brasil desde o final da década de 1960, o exercício da engenharia química no país conta com mais de 35 mil profissionais da área. Um grupo pequeno, mas muito importante para o desenvolvimento econômico nacional.

A engenharia química

O que é Engenharia Química?

Se a Engenharia Química pudesse ser definida em apenas uma palavra esta certamente seria “transformação“. A Engenharia Química é o ramo da Engenharia responsável pela transformação na composição, estado físico ou conteúdo energético de matérias primas em uma série de produtos úteis ao ser humano.

Instituto Americano de Engenheiros Químicos (AICHE) define a Engenharia Química como:

“Área/profissão que se dedica à concepção, desenvolvimento, dimensionamento, melhoramento e aplicação dos Processos e dos seus Produtos. Neste âmbito inclui-se a análise econômica, dimensionamento, construção, operação, controle e gestão das Unidades Industriais que concretizam esses Processos, assim como a investigação e formação nesses domínios”.

O que faz o Engenheiro Químico?

O Engenheiro Químico é o engenheiro que elabora projetos, instala, opera indústrias e desenvolve novos processos de transformação físico-químicas. Em outras palavras, é o profissional que participa de todas as etapas, desde a concepção e projeto de novas indústrias, até a operação, controle e otimização do processo produtivo.

Uma vasta gama de produtos do dia-a-dia é produzida por indústrias químicas, tais como:

Campo
Exemplos de produtos
Combustíveis
Gasolina, óleo diesel, álcool
Alimentos
Conservação, cozimento, envase
Construção civil
Tintas, cimento
Fármacos
Anestésicos, anti-térmicos
Biotecnologia
Antibióticos
Fibras sintéticas
Tecidos, lã
Papel e celulose
Polpa, folhas de ofício, papéis especiais
Agricultura
Adubos, inseticidas, fungicidas
Plásticos
Canetas, brinquedos, embalagens
Doméstico
Produtos de limpeza, ceras, detergentes


O leque de atuação do Engenheiro Químico é bastante amplo, podendo atuar em uma série de áreas:

Área
Principais atividades
Automação
– Dimensiona instrumentação
– Implanta e mantém sistemas de controle
Treinamento
– Formação e treinamento de recursos humanos nas empresas
Ambiental
– Tratar resíduos e efluentes
– Minimizar produção de efluentes
– Minimizar consumo de insumos, como água
Processos
– Projeto de equipamentos
– Define matérias primas
Produção
– Trabalha em parceria com a operação para garantir a produção sempre dentro das especificações
Produtos
– Avalia as características dos produtos atualmente disponíveis
– Concebe novos produtos
Segurança
– Análise da segurança de novos equipamentos e dos equipamentos que estão operando em uma dada planta
Processo
– Estudo de aumento de eficiência operacional
Gestão
– Projetos
– Financeira
– Tecnológica
Vendas
– Intermedia a venda
– Assistência técnica
– Acompanhamento de produtos
Otimização
– Melhora contínua da eficácia operacional
– Aumento contínuo da rentabilidade da planta


A formação do Engenheiro Químico

A formação do Engenheiro Químico abrange um largo espectro de conhecimento, que envolve não só a química e a matemática, mas também a física, biologia, entre outras áreas. O tempo total médio de titulação é de 5 ANOS.

A formação do Engenheiro Químico pode ser dividida em quatro fases:

Ciências básicas: fornecem a base indispensável para a compreensão dos mecanismos essenciais às Ciências e Tecnologias da Engenharia Química. Este período é de aproximadamente 3 semestres e envolve disciplinas da matemática, física e química, principalmente, como mostrado no quadro:

Matemática

  • Cálculo e Geometria Analítica
  • Álgebra Linear
  • Equações Diferenciais
  • Matemática Aplicada
  • Cálculo Numérico

Química

  • Química Geral
  • Físico-Química
  • Química Orgânica
  • Química Analítica

Física

  • Física I
  • Física II
  • Física III
  • Física IV

 

Fundamentos da Engenharia Química: fornecem a base para entendimento e descrição dos processos químicos. Esta etapa é de aproximadamente 3 semestres. Os fundamentos podem se dividir em três campos:

Termodinâmica


Descreve o equilíbrio de sistemas, em fases iguais ou distintas.

 

Cinética


Estudo das reações químicas e bioquímicas, bem como das leis que regem tais fenômenos.

 

Fenômenos de transporte


Estudam a níveis macroscópico e molecular os fenômenos de transferência de três propriedades distintas:

– Quantidade de movimento
– Calor
– Massa

 

 


Tecnologias da Engenharia Química
: estuda os equipamentos mais usuais onde as Ciências da Engenharia Química são aplicadas. Uma série de disciplinas como Reatores Químicos e Operações Unitárias serão escopo de estudo neste curso. Por exemplo, nas disciplinas de Operações Unitárias, o aluno se familiarizará com o comportamento e formas de projeto de diferentes equipamentos comuns na indústria química, tais como:

  • Bombas
  • Ciclones
  • Filtros
  • Colunas de Destilação

O tempo desta etapa é de aproximadamente 4 semestres.

Dentro do campo das tecnologias, devem-se destacar as disciplinas de projetos. Estas provêm ao aluno as bases para projetos de novas unidades, ou mesmo melhora operacional de equipamentos existentes. Dentro deste campo, mencionam-se as seguintes disciplinas:

  • Projetos da Indústria Química
  • Controle de Processos
  • Instrumentação
  • Modelagem e Simulação
  • Engenharia Ambiental

Quais as diferenças entre o Engenheiro Químico e o Químico?

Apesar de parecerem muito semelhantes, estas duas profissões apresentam diferenças significativas o que acarretam muitas vezes desilusão no estudante ao se deparar com o escopo dos cursos.

Químico é responsável pelo estudo em escala laboratorial de uma série de produtos como combustíveis, cosméticos, entre outros produtos. Além disso, cabe ao Químico dentro das corporações a análise da qualidade dos produtos. Seu papel não se limita à análise: o Químico também é responsável pelo desenvolvimento de novos produtos e tecnologias e aperfeiçoamento das fórmulas atualmente produzidas.

O papel do Engenheiro Químico é distinto: cabe a ele o desenvolvimento de processos e produtos visando aumentar a escala de produção de forma a torná-la e mantê-la economicamente e ecologicamente viável. Além disso, o acompanhamento da produção e a otimização contínua do processo é papel deste engenheiro.

O elenco de atribuições é definido pela Resolução Normativa do CFQ nº 36, de 25/4/1974. Cada atribuição é constituída por diversas atividades conforme quadro abaixo:


Cabe ressaltar que atualmente as empresas químicas possuem hoje uma equipe multidisciplinar que geralmente contempla ambos os profissionais, sendo ambos indispensáveis para a manutenção do processo e qualidade dos produtos e desenvolvimento de novas fórmulas.

Assista ao depoimento de Norberto Holz – Professor do DEQUI-UFRGS e Coordenador da Câmara da Engenharia Química no CONFEA-RS.

Qual o futuro da Engenharia Química?

A imagem do engenheiro químico está erroneamente ligada à poluição, por ser responsável por projetar e auxiliar na operação de indústrias químicas, que são potencias geradoras de poluição.

Além desta atribuição, o Engenheiro Químico possui outra dentro das mesmas empresas que é o de limpeza. O Engenheiro Químico é um dos poucos profissionais capazes de diminuir o impacto ambiental de muitas indústrias, não só tratando os resíduos nas indústrias, mas também projetando processos e otimizando a operação a fim de minimizar a geração de efluentes e o consumo de componentes importantes ao ser humano, como a água.

O futuro das indústrias passa obrigatoriamente pelo desenvolvimento das chamadas tecnologias limpas. Dentro deste escopo, uma série de ações onde o Engenheiro Químico tem papel importante tem sido desenvolvidas a fim de reduzir o impacto das indústrias sobre o meio ambiente. Alguns exemplos podem ser citados como o plástico verdebiocombustíveis, entre muitas ações.

A perspectiva futura para o Engenheiro Químico é bastante promissora, não se limitando a ações para minimizar o impacto humano sobre a natureza. Muitas áreas de atuação atual, tais como petróleo, papel e celulose, entre outros, manterão seu destaque nas próximas gerações. Por outro lado, uma série de oportunidades se configura como desafios futuros para nossa profissão:

  • Nanotecnologia: está associada à produção de compostos em escala atômica (ou nano), onde estruturas e novos materiais são projetados a partir dos átomos. Atualmente, uma vasta gama de produtos de estrutura nano tem sido estudados, dentre os quais se destacam medicamentos, novos materiais, cosméticos, entre outros.
  • Bioprocessos: processamento de biomateriais a partir de agentes como enzimas, bactérias e leveduras é o cerne dos bioprocessos. O desenvolvimento de tais processos exige conhecimentos não só de biologia, mas também de Engenharia Química a fim aproximá-los do meio industrial.
  • Engenharia metabólica: foca na produção de compostos via através da manipulação de caminhos de transdução de sinais, através da Engenharia Genética.
  • Engenharia verde: desenvolvimentos de produtos e processos onde o impacto sobre o meio ambiente é nulo ou muito pequeno. Além disso, as matérias primas são de fontes renováveis. Um exemplo é o plástico verde, que está sendo produzido a partir de etanol.
  • Engenharia criogênica: processos que envolvem temperaturas muito baixas. Há aplicações de Engenharia Criogênica em diversas áreas, tais como separação de compostos do ar, produção de hidrogênio, entre outros.
  • Engenharia de tecidos: este campo se preocupa com a modelagem do funcionamento de órgãos do corpo humano, como o pulmão e coração. Além disso, há o desenvolvimento de materiais poliméricos biocompatíveis, que podem ser utilizados no desenvolvimento de tecidos e órgãos.

Créditos complementares

As atividades complementares passaram a ser exigidas a partir de 2008/1 (alunos ingressantes antes de 2008/1 estão dispensados) e foi regulamentada através da Resolução nº 05/2014 da COMGRAD.

São exigidos 6 (seis) créditos como número mínimo, referentes à atividades tais como: apresentação de trabalhos em eventos, monitoria, iniciação científica e cursos de extensão, entre outros.

Para requerer o aproveitamento de créditos complementares, basta abrir um único processo no Protocolo Geral da UFRGS solicitando via o formulário “Requerimento para solicitação de liberação de crédito” liberação de créditos somente após ter todas as atividades totalizando os 6 (seis) créditos complementares.